O município de Jaguariaíva está entre os 11 do Paraná contemplados com parte dos recursos totais de R$ 9,02 milhões para construção de sede própria para o Conselho Tutelar, anunciados nos últimos dias pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho.

Os espaços são divididos entre uma brinquedoteca, ambiente com computadores e livros, além de uma recepção, banheiros com acessibilidade (ambos com trocador de fraldas), cinco salas de atendimento individual, uma sala de reuniões, vestiários com chuveiros, uma cozinha e uma área de serviço.

Sempre com um olhar especial para o bem estar social das crianças e adolescentes, a prefeita Alcione Lemos comemora a conquista. “Com esta obra teremos melhoria no acolhimento das crianças, adolescentes e seus responsáveis, que terão estrutura adequada e mais privacidade durante o atendimento pelos conselheiros, que também ganham com um espaço ainda melhor para desempenharem suas funções”, diz.

A expectativa é que as obras iniciem ainda este ano, com execução do Governo do Estado. O recurso, oriundo do Fundo Especial para a Infância e Adolescência (FIA), deliberado pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca), bonifica conselhos tutelares que preencheram os requisitos de participação na base de dados SIPIA (Sistema de Informação para a Infância e Adolescência). Além de Jaguariaíva, serão beneficiados os municípios de Campo Largo, Campo Mourão, Cascavel, Cornélio Procópio, Fazenda Rio Grande, Guarapuava, Maringá, Prudentópolis, Rolândia e São Mateus do Sul.

Contrapartida – O terreno para a nova sede do Conselho Tutelar, situado nas proximidades do Complexo Matarazzo e Polícia Militar, foi concedido pelo município.  Além disso, é da prefeitura a responsabilidade de manter o serviço, custeando, por exemplo, o pagamento dos conselheiros e o combustível usado nas visitas e operações.

A administração municipal dá ainda apoio ao trabalho do Conselho Tutelar, visto que as secretarias, entre elas a SHADS (Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Social), integram uma rede de proteção, visando efetivar as ações e medidas pactuadas no acompanhamento dos conflitos de cada família. O órgão atualmente funciona em uma sede provisória, ao lado da Casa da Cultura, na Cidade Alta, espaço este disponibilizado e mantido pelo município. Fonte: Assessoria / Foto: PMJ.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui