Somente em janeiro deste ano, 198,1 mil brasileiros tiveram suas contas clonadas em todo o país segundo um levantamento da startup PSafe. São Paulo foi o estado mais afetado com 41,2 mil clonagens. Em seguida está o Rio de Janeiro, com 24,2 mil vítimas e, em terceiro lugar, Minas Gerais com 15,9 mil.

O “golpe da festa” é o mais famoso até agora, entre tantos outros que já circularam pelo mensageiro.  Nesse golpe “o criminoso pesquisa por eventos que terão a presença de pessoas famosas. Depois, se passando pelo organizador da festa, o golpista entra em contato com a potencial vítima para solicitar uma suposta confirmação de identidade.” explicou o diretor do laboratório especializado em segurança digital do PSafe, Emilio Simoni.

O usuário, então, recebe um código que deve ser informado ao “organizador”. Esse código se trata de um PIN de seis dígitos que dá acesso à conta do WhatsApp. A conta é bloqueada no celular do usuário e liberada para o criminoso que faz a clonagem.

De acordo com o levantamento, 7.590 mil golpes foram identificados também em janeiro. Aproximadamente, 13,6 milhões de usuários foram afetados. No mês, o golpe mais usado foi o de emprego falso que atingiu mais de 5 milhões de pessoas.

Fonte: Tecmundo / Foto: Flickr

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui