O ano letivo de 2020 começa com uma grande novidade para a rede estadual de ensino. A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte publicou a versão experimental do Currículo da Rede Estadual Paranaense, o CREP, voltado aos anos finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano).

O CREP é complementar ao Referencial Curricular do Paraná (para entender a diferença entre o Referencial e o CREP, veja o Box ao fim da matéria) e compila os conteúdos essenciais a serem trabalhados em cada disciplina, separados por ano, além de sugestões de como distribuir esses conteúdos nos trimestres letivos.

“O documento reúne os conteúdos que expressam os conhecimentos que cada estudante deve adquirir para cumprir sua trajetória escolar corretamente, atingindo os objetivos de aprendizagem do Referencial. É um documento muito importante, a partir do qual a Secretaria planejará e executará suas ações formativas”, explica o diretor de Educação, Raph Gomes Alves.

Ele destaca, ainda, que a organização dos conteúdos ao longo dos trimestres privilegia os estudantes que, ao longo do ano, mudam de escola, além de potencializar a troca de experiências entre os professores.

PARA A SALA DE AULA – O CREP funciona como um grande guia construído a partir da Base Nacional Comum Curricular (norma curricular nacional) e do Referencial Curricular do Paraná (norma para o sistema estadual paranaense).

Separados por disciplinas (como Língua Portuguesa, Matemática, História), os conteúdos alcançam a especificidade da aula e, por essa característica, o CREP facilita a troca de experiências e as escolhas metodológicas do professor, bem como os processos de avaliação, já que é premissa do processo de ensino e aprendizagem que todo conteúdo abordado em sala de aula atenda a um objetivo de aprendizagem.

Acesse AQUI os volumes do CREP por disciplina. 

CONSTRUÇÃO COLETIVA – A elaboração dessa primeira versão do CREP passou por um processo de consulta pública à rede de profissionais da Educação. Em 2020, o CREP será o documento orientador dos Planos de Trabalho Docente e Planos de Aula.

Por se tratar de um documento de grande impacto para a rede de ensino, os profissionais da educação poderão, através do RCO, sugerir conteúdos que não foram contemplados e adequações quanto à distribuição temporal dos conteúdos nos trimestres, sugerindo, por exemplo, a troca de trimestres. No fim do ano, será divulgada a versão consolidada do CREP, considerando os ajustes sugeridos pela rede.

Para Gomes Alves, o feedback constante dos profissionais será fundamental para ajudar a Secretaria a qualificar o documento.

Fonte: Aenpr / Foto: SEED

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui