Após um longo período de paralisação,  cerca de seis anos, o Governo do Paraná  vai retomar a obra do Centro Estadual de Educação Profissional de Ibiporã  (CEEP-Ibiporã), na Região Norte. A recuperação da construção atende a uma determinação do governador Carlos Massa Ratinho Junior, que visitou o local nesta última quinta-feira (24) e assinou a ordem de serviço que permite a retomada imediata da obra.

O centro de educação estava abandonado desde o fim de 2014 em função das investigações da Operação Quadro Negro, que apura irregularidades em construções de escolas.

O investimento do Estado nesta nova fase é de R$ 7,13 milhões, com prazo de conclusão estimado para o segundo semestre de 2021. “Educação é prioridade e trabalhamos para fazer do Paraná o estado com a melhor educação do Brasil”, ressaltou Ratinho Junior.

O governador afirmou que desde que assumiu o Governo do Estado, no início de 2019, cobrou da equipe a finalização de todas as obras que estavam paradas. A determinação, disse ele, é para entregá-las o mais rápido possível à população paranaense. “O Paraná não admite obra inacabada, ainda mais obra inacabada por motivo de corrupção. Essa escola agora será entregue para os estudantes, professores, familiares, para a comunidade do Norte do Paraná”, afirmou.

O CEEP-Ibiporã terá capacidade para atender cerca de 1.200 estudantes, ofertando os cursos de Eletrônica, Manutenção Automotiva, Edificações, Segurança do Trabalho e Química.

Na solenidade, Ratinho Junior falou sobre os avanços conquistados pela educação do Paraná e lembrou que o Estado alcançou a quarta melhor nota do ensino médio entre as redes estaduais do Brasil, segundo dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). Em 2017, o Estado ocupava a sétima posição.

O IDEB é realizado a cada dois anos e na edição atual, que mostra resultados da avaliação feita em 2019, o Paraná conseguiu um fato histórico: obteve o maior crescimento de nota no ensino médio – subiu 0,7, saindo de 3,7 para 4,4 pontos. É a maior evolução desde 2005. Se somadas as notas de escolas federais e privadas, o Paraná aparece em terceiro no ranking nacional. “É motivo de muita alegria. Seja com a retomada desta escola ou com o resultado do IDEB. Bons motivos para comemorar”, disse Ratinho Junior.

ESTRUTURA –  O CEEP Ibiporã terá estrutura ampla e moderna, com área total de 6.495,56 metros quadrados. São 12 salas de aula, 10 laboratórios, cozinha, refeitório, auditório, biblioteca, ginásio de esportes e bloco administrativo. O terreno foi doado pela prefeitura municipal.

“Essa retomada significa o uso correto do dinheiro público. O conceito do Governo do Estado é usar o recurso de forma correta. E a Fundepar se preocupa em dar toda a estrutura física para os estudantes”, afirmou o diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional (Fundepar), Alessandro Oliveira. O órgão é responsável por gerenciar as obras na rede estadual de ensino.

A intenção, destacou Ratinho Junior, é contribuir para a qualificação profissional dos jovens, preparando-os para inserção no mercado de trabalho, com atenção especial para atender os arranjos produtivos locais. “É um ambiente saudável e organizado para receber nossos alunos. Uma estrutura moderna de capacitação técnica”, disse o governador.

COMUNIDADE – A retomada da obra, com previsão de conclusão para o ano que vem, é motivo de alento para os moradores de Ibiporã. O auxiliar de mecânico Fábio Foschiani Sawada é vizinho do complexo escolar. Além de representar uma grande opção de ensino com foco profissionalizante na cidade, ele contou que a sequência da construção dará mais segurança para os vizinhos da escola.

“Sempre tem bagunça, som alto, gente tomando bebida, incomoda todo mundo aqui. Sem contar que a paralisação significa dinheiro público desperdiçado”, afirmou. “Pessoal roubou muita coisa da obra, é uma bagunça só. No sábado de madrugada ninguém dorme aqui”, completou a dona de casa Tereza de Fátima Crespim, há mais de 40 anos morando na região.

RETOMADA – O CEEP-Ibiporã é uma das últimas obras a serem retomadas pelo Estado em decorrência da operação Quadro Negro, que apontou desvios de recursos na construção de prédios escolares. O investimento total é superior a R$ 18 milhões.

Por determinação do governador Carlos Massa Ratinho Junior, a Fundepar tem atuado para encerrar um capítulo na educação do Paraná. O Ministério Público apontou o desvio de recursos na construção de escolas no Estado em 2014. As últimas obras foram retomadas neste ano.

INVESTIMENTO – Em todo o Estado, o Instituto Fundepar investe mais de R$ 100 milhões em 156 obras escolares. São construções de novas unidades escolares, ampliações de espaços, reparos e de restauração. Com isso, cerca de 1,4 mil empregos diretos foram mantidos nos canteiros de obras. Fonte: Aenpr / Foto: Rodrigo Felix Leal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui