O governador Carlos Massa Ratinho Junior confirmou nesta última quinta-feira (23) a ampliação em 214 novos leitos de UTI e de enfermaria para o Hospital Universitário da Universidade Estadual de Londrina (HU-UEL), que é referência para 96 municípios e cerca de 3,4 milhões de pessoas da região Norte do Estado. O investimento é de R$ 3 milhões em equipamentos e mais o montante de R$ 21 milhões para custeio para os próximos seis meses.

Serão 56 novos leitos de UTI para adultos,  16 leitos de UTI pediátrica e 142 de enfermaria. Alguns já estão sendo utilizados no prédio principal do HU-UEL, e os novos serão colocados no pronto-socorro do hospital e no prédio da maternidade, que terá capacidade para até 44 leitos de UTI e 66 enfermarias.

O governador afirmou que o uso da maternidade e a ampliação da estrutura de atendimento do HU-UEL estão dentro da estratégia de regionalização do atendimento à saúde. “Na nossa visão, esse não é um hospital de campanha. A estrutura vai ficar para a comunidade, para a população. Os equipamentos são temporários para o enfrentamento da pandemia, mas é um ativo para a comunidade”, afirmou Ratinho Junior. “Repassamos R$ 21 milhões em custeio para esses novos leitos e, de acordo com o planejamento, o Governo do Estado vai equilibrar mais os investimentos e o custeio”.

DEFINITIVA – Pelas projeções da direção do HU de Londrina, a expansão fará com que a estrutura ultrapasse 400 leitos de UTI e de enfermaria. Novos profissionais serão contratados em caráter temporário durante o estado de emergência em saúde pública. A estrutura contratada atenderá exclusivamente os casos de Covid-19 nesse momento, mas será disponibilizada de maneira definitiva para o HU-UEL.

REFERÊNCIA – O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, enfatizou que o HU-UEL é um centro formador de médicos, enfermeiros e profissionais da saúde e merecia novo apoio na sua estrutura. “Vamos colocar a nova maternidade para funcionar no enfrentamento ao coronavírus e essa estrutura ficará perenemente à disposição do hospital. São 36 leitos adultos novos de UTI e 16 pediátricos de UTI já em funcionamento. É um reforço e tanto para a cidade como para a macrorregião Norte de Saúde”, acrescentou.

O secretário também afirmou que a laboratório do HU-UEL está em processo de validação para começar a realizar testes RT-PCR para detecção do novo coronavírus e que a Secretaria de Saúde vai ajudar com disponibilização de reagentes para auxiliar com os dados para pacientes internados em Londrina (principalmente no hospital universitário). A capacidade de processamento do laboratório é de pelo menos 200 testes por dia.

Beto Preto ainda disse que o Paraná espera cerca de 600 respiradores do Ministério da Saúde e que vai receber nos próximos dias 170 monitores para distribuir aos municípios. Além disso, ele citou que o Estado começa nos próximos dias a aplicar os 54 mil testes rápidos em profissionais de saúde, da segurança e familiares, e que terá um novo lote de 60 mil testes à disposição nos próximos dias.

ATENDIMENTO – O superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Governo do Estado, Aldo Bona, disse que os investimentos em Londrina vão se alinhar com pesquisa aplicada contra o novo coronavírus e síndromes respiratórias graves. “De maneira preventiva o Governo do Estado agiu para que essa estrutura estivesse dentro de um hospital universitário porque ele cumpre função de hospital-ensino e de atendimento para a população. Isso gera desenvolvimento das pesquisas, do que está sendo estudado. Temos nessa ampliação de capacidade de atuação a expectativa de que o aspecto da ciência possa avançar com mais velocidade”, complementou.

Fonte: Aenpr / Foto: Rodrigo Felix Leal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui