O público que acompanhou a missa de cura e libertação no Santuário São Miguel Arcanjo, de Bandeirantes, no dia 29 de março de 2020, pelas mídias sociais, foi superior à média de público presencial verificada nos últimos meses. A conclusão é de um levantamento do sistema de contagem de público do santuário, batizado com o nome de peregrinômetro.

De acordo com acompanhamento on-line citado pelo padre Roberto Medeiros durante a celebração, o número de equipamentos ligados chegou a 7.200. Considerando que uma média entre 2 a 3 pessoas assistiram a missa por aparelho, podemos concluir que pelo menos 18 mil pessoas viram a missa pela TVweb do santuário.

Houve casos, porém, que o número de pessoas que viram a missa por aparelho foi bem maior. Um exemplo é do devoto Paulo Sidney de Oliveira, de Londrina, que acompanhou a missa com mais quatro pessoas: seus pais, uma irmã e a namorada.

Paulo é organizador de caravanas que participam das missas de cura e libertação todo dia 29 de cada mês e é um freqüentador assíduo do santuário. Ele diz que foi muito diferente acompanhar a missa à distância, mas ficou agradecido por estar “conectado”.

Ainda durante a missa, o padre Roberto ressuscitou, de certa forma, a figura do “televizinho”. Segundo ele, havia um lugar em que várias pessoas viram a missa pela TV de um morador próximo.

A celebração

A missa de cura e libertação do dia 29 de março de 2020 foi celebrada pelo padre Roberto Medeiros, com a participação do padre Jair, que é vigário do santuário. A celebração contou com a presença apenas de algumas pessoas da equipe de liturgia.

Logo no início de sua homilia, o padre Roberto disse que era preciso coragem para vivenciar “este momento”.

Apesar das circunstâncias, o padre citou um lado positivo da pandemia, que é uma aproximação maior entre as pessoas que moram sob o mesmo teto: são os pais brincando mais com seus filhos, o marido conversando com a esposa, e até mesmo as pessoas sentindo saudade umas das outras. Segundo ele, isto é uma “manifestação de Deus”.

No momento da exposição do Santíssimo, o padre Roberto pediu “a quebra de maldição que paira sobre o Brasil”. No final, ele levou o Santíssimo à uma janela para abençoar a cidade de Bandeirantes e abençoou também outras cidades onde estão os devotos de São Miguel Arcanjo.

A imagem interna do santuário durante a celebração era algo totalmente atípico. No lugar de pessoas rezando e louvando durante horas, havia apenas montes de cadeiras empilhadas.

Algumas pessoas, possivelmente por falta de aviso, foram ao santuário para acompanhar a missa, mas ficaram do lado de fora porque as portas permaneceram fechadas o tempo todo.

A missa com a presença de peregrinos no santuário foi cancelada em função da pandemia de coronavírus que mudou a rotina de milhões de pessoas no Brasil e no mundo.

O padre Roberto Medeiros espera que tudo volte ao normal para a missa do dia 29 de abril de 2020.

Especial: Eli Araujo / Foto: Eduardo Esteves

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui